quarta-feira, 1 de janeiro de 2014

Próspero 2014!

Não sei se faz sentido  desejar um bom ano a todos os que leiam esta mensagem. A dúvida ocorre-me depois de ter escutado as críticas do   padre sobre a industrialização das mensagens de Boas Festas e de Ano Novo com os recursos da Internet. Referiu o E-mail, o Twitter e o Facebook como se fossem os demónios dos tempos modernos,  responsáveis pela desagregação das famílias...

Para que  conste, esta mensagem não é copy/paste, e sinto-me muito mais tranquilo escrevendo-a no meu Tablet, que a publicará no Blogger, Twitter, Facebook e nem sei mais onde, que me senti na missa, perante a pressão para beijar a vizinhança ao lado pela paz de Cristo ou beijar a imagem mesmo que o padre tenha dito que  os católicos não veneram imagens!

Tenham um 2014 minimamente decente, sem esperar pela saída da Troika, porque num país periférico como o nosso a famigerada independência não passa de uma utopia e quem constrói a Felicidade somos nós! Quem me mandou ir à Missa?

terça-feira, 15 de outubro de 2013

Brutal aumento de impostos apresentado como corte da despesa/poupança do Estado

Os funcionários que recebam 2.000 euros, tem tido um corte de 3,5%, mas verão agora esse corte pode disparar para os 12%, passando a ser quase equivalente a dois subsídios. Os que recebam um vencimento superior, terão igualmente um corte de 12%, sem qualquer respeito pelo princípio da proporcionalidade. Este princípio foi criado para tornar a repartição do rendimento mais justa, o que se efectua entre nós através do IRS. Se o Governo utilizasse o IRS, estaria a respeitar minimamente a situação dos contribuintes. Sucede que o seu objectivo é sacrificar os funcionários públicos de nível intermédio, mas ao mesmo tempo dizer aos altos quadros da função pública que não os querem beliscar, porque sabem que quanto mais qualificados são, mais dificilmente serão substituídos.

A propaganda está tão bem montada, que este aumento efectivo e imoral de impostos é apresentado como corte da despesa ou poupança do Estado.

A ideia é que os funcionários intermédios não fazem falta nenhuma ao Estado, pois passarão o dia a falar ao telemóvel - como a imagem sugere - ou talvez no Facebook...

Para melhorar ainda a repartição do rendimento, não se faz nada para reaver os impostos daquelas que os decidiram pagar na Holanda, e ainda se lhes oferece um bónus no IRC.

segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Marco Almeida ganhou moralmente em Sintra



Quem votou VIII conheceria Marco Almeida e teria razões para nele depositar a sua confiança. Quem votou no PS, votou na marca eleitoral que tem por atribuição fazer oposição ao PSD, com o primo Basílio ou outro pára-quedista qualquer. Como a diferença entre as duas primeiras listas foi de cerca de 1700 votos em 123 mil, quase sem expressão percentual, Marco Almeida ganhou moralmente estas eleições, porque ia tendo o número votos suficiente para as vencer efectivamente, contra as máquinas partidárias do PS e do PSD.

Nunca tinha escrito sobre eleições no blogue, porque nunca me tinha custado perder. Pelo que li no Twitter esta noite terá sido penosa para muitos mais, mas a nossa esperança de devolver Sintra aos Sintrenses não se esgotou hoje... Para a próxima acredita mais na tua força e esquece os notáveis, porque o efeito Capucho foi contraproducente.

Adenda
Marco Almeida denuncia trafulhices na contagem dos votos em Sintra, e exige anulação das eleições

segunda-feira, 16 de setembro de 2013

quinta-feira, 12 de setembro de 2013

Portugal, o país mais desigual da Área Euro, persiste na chinenização do trabalho

Alguns extractos do Relatório da Oxfam:
  • A crise da dívida soberana na zona do euro poderia muito bem designar-se de "crise do desemprego" em Portugal, como em outros Estados-Membros do sul da Europa. Esta crise levará à perda da geração de mão-de-obra qualificada em Europa. Mais que as variações do PIB e das taxas de juro da dívida soberana, o número de pessoas sem trabalho pode ser visto como um indicador de quão duramente o país foi atingido pela crise e as medidas de austeridade.
  • Portugal reduziu abruptamente os gastos em educação, entre 2010 e 2012, 23 por cento em dois anos. Acompanhando esse número, entre os grupos que visitam centros de emprego, os professores viram o mais significativo aumento em todo o país em 2012. Enquanto isso, o governo aumentou o mínimo de alunos por turma para 26 com um máximo de 30, entre o 5º e o 12º anos de escolaridade (10-18 anos de idade).
  • Vitor Gaspar, advertiu que "a disciplina orçamental" não vai acabar, mesmo que as medidas de austeridade acordadas entre a Troika e o Governo Português sejam respeitadas e concluídas em 2014. Gaspar afirmou ainda que o trabalho para reduzir os níveis de dívida não será concluída em 2014 ou no ano seguinte: "Vai levar os esforços de uma geração".

  • Fonte: THE TRUE COST OF AUSTERITY AND INEQUALITY, Setembro de 2013, OXFAM.

segunda-feira, 9 de setembro de 2013

Não há amanhã

Crescimento demográfico e económico exponencial, em confronto recursos energéticos limitados, conduzem a perspectivas de futuro muito negras... O pior é que esta reflexão é muito realista.

sábado, 7 de setembro de 2013

O negócio do ensino privado no Grupo GPS

Políticos são os seus administradores, que enriquecem com dinheiros públicos, escravizam os professores, inventam as classificações dos alunos. Tutela não responde às questões sobre os contratos de associação do Grupo GPS.

domingo, 25 de agosto de 2013

«O ideal até era que os salários descessem»

Finalmente, um corte na despesa de 225 mil euros livres de impostos.

Com a sua morte, adquiriu hoje prodigiosos elogios em todos os jornais/sites, mas se lerem os comentários verão que ninguém desculpa o fanatismo liberal de António Borges, um dos responsáveis e dos beneficiários pela crise financeira e pela situação em que Portugal se encontra.

Para António Borges os hedge funds dispensavam a sua regulamentação, alegando que eram transaccionados apenas por profissionais, detentores de conhecimento. Para a generalidade da malta, ignorante, a única solução, será submeter-se a salários cada vez mais baixos, concorrendo com os chineses.



Os adjectivos utilizados pelos jornalistas e pelos comentadores, diferem tanto que nem parecem referir-se à mesma pessoa! Os primeiros são politicamente correctos. Para os segundos poderia ter falecido em 2009.

sábado, 17 de agosto de 2013

Um Governo que impõe aos outros regras que não segue



As escolas do ensino básico e secundário registaram a maior redução de funcionários. Mas os gabinetes do Governo registaram o maior aumento ;)

Arco de Luz - Terreiro do Paço



O vídeo não tem qualidade cinematográfica, mas para testar o Smartphone está óptimo. O espectáculo levou muitas pessoas ao Terreiro do Paço, provocando o caos no trânsito. Talvez alguns bares tenham facturado mais nestas noites, mas a maioria parece-me não ter entrado em nenhum.

quinta-feira, 15 de agosto de 2013

O PIB continua a cair, mas mais devagar

O INE publicou a estimativa rápida com um título e imagem bem elucidativos: Produto Interno Bruto diminuiu 2,0% em volume no 2º trimestre de 2013.



Porém, quem quer fazer propaganda à receita da Troika lê que “comparativamente com o trimestre anterior, o PIB aumentou 1,1% em volume”, simplesmente porque o PIB apesar de continuar a cair, caiu menos que no trimestre anterior.



No 1º trimestre de 2013 o PIB em volume (quantidade de bens produzidos) caiu a -4,1% ao ano, e no 2º trimestre caiu a uma velocidade menor: -2,0%. Comparativamente com o 2º trimestre de 2012 – em que a economia caía a -3,2% ao ano – no 2º trimestre de 2013 estima-se que a velocidade da queda se tenha reduzido em cerca de um ponto percentual, mas isto não é crescimento económico.

Podemos imaginar alguém a cair de um precipício, que entretanto abriu o para-quedas, começando a cair com maior suavidade, um efeito o INE associa ao calendário da Páscoa, a redução menos acentuada do Investimento e a uma aceleração expressiva das Exportações. Mas o Governo utilizou este ponto de inflexão ainda muito duvidosa para legitimar a política de austeridade e fazer a sua propaganda.

A Páscoa baralha as contas porque tem carácter sazonal. A redução menos acentuada do Investimento pode associar-se a um corte da procura interna que não foi tão longe quanto o Governo desejava devido à intervenção do Tribunal Constitucional. A aceleração das Exportações deve-se em grande parte à nova refinaria da Galp e ao crescimento económico dos principais parceiros... Nada disto depende da política do Governo, e muito provavelmente a economia sairia da recessão mais depressa sem governo nenhum.

quarta-feira, 14 de agosto de 2013

Que podemos esperar do PS?



Custa a acreditar, que durante a noite foi erigida uma estátua numa cidade, mas neste país já tudo parece possível. Que seja o PS a homenagear padres fascistas, militantes do ELP e do MDLP, que nem contaram com o voto favorável do PSD e do CDS, é mesmo extraordinariamente revelador do PS que temos.

sexta-feira, 9 de agosto de 2013

MST: "O verbo evidenciar não existe"

Miguel Sousa Tavares, comentando as peripécias de Pais Jorge, afirmou que este inventou o verbo “evidenciar. Evidentemente, ficou registado para memória futura.

quarta-feira, 24 de julho de 2013

Governo BPN

Os gatunos da banca governam o país. É curioso observar que o montante da despesa pública que o Governo deseja cortar corresponde sensivelmente ao buraco do BPN: 4,6 mil milhões de Euros. E Rui Machete já é o segundo exemplar da quadrilha, depois de Franquelim Alves.


BPN omitido no currículo de novo ministro
A Bola
BPN omitido no currículo de novo ministro. Por Redação. A- A A+. O novo ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros, Rui Machete, conta no currículo com uma passagem pelo Conselho Superior da Sociedade Lusa de Negócios mas essa informação ...

Ligação de Machete ao BPN sem impacto, diz ex-MNE
Diário de Notícias - Lisboa
João Semedo considerou que a proximidade de Rui Machete ao grupo BPN/SLN "num momento em que as fraudes do BPN e SLN pesam tanto das contas públicas e no bolso de cada contribuinte" confere à escolha um estatuto de "muito mau gosto".

Governo Passos esquece BPN no currículo de Rui Machete
Notícias ao Minuto
O gabinete de Passos Coelho omitiu o BPN do currículo de Rui Machete. O DN aponta hoje que a passagem do novo ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros pelo Conselho Superior da Sociedade Lusa de Negócios, dona do Banco Português de ...

Gabinete de Passos omite BPN no currículo de Machete
Diário de Notícias - Lisboa
A passagem do novo ministro de Estado e dos Negócios Estangeiros pelo Conselho Superior da Sociedade Lusa de Negócios, a proprietária do Banco Português de Negócios (BPN), de 2007 a 2009, não consta das "notas biográficas dos novos ministros", ...

Novo ministro dos Negócios Estrangeiros com fortes ligações ao ...
Público.pt
O novo Ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros, Rui Machete, foi presidente ao longo de vários anos do Conselho Superior da Sociedade Lusa de Negócios (SLN), a dona do Banco Português de Negócios (BPN), onde o Estado português injectou a ...

Passagem do novo ministro pela SLN foi omitida do currículo
TVI24
Rui Machete, escolhido para ocupar o cargo de ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros, já trabalhou na SLN, sociedade gestora do BPN, mas essa passagem pela empresa foi omitida da sua biografia, enviada aos órgãos de comunicação social ...

Maria Luís Albuquerque ouvida na comissão de Orçamento sobre ...
RTP
A comissão de Orçamento, Finanças e Administração Pública quer ouvir a ministra das Finanças, Maria Luís Albuquerque, no âmbito da venda do BPN ao BIC até 31 de julho. A presença de Maria Luís Albuquerque naquela comissão foi requerida na ...

Passagem de Rui Machete pelo BPN omitida pelo Governo
Diário Digital
Novo ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros, a passagem de Rui Machete, de 73 anos, pelo Conselho Superior da Sociedade Lusa de Negócios, a proprietária do Banco Português de Negócios (BPN), entre 2007 a 2009, foi omitida das «notas ...

Finanças pagaram 22 milhões de euros ao BIC
Económico
O Ministério das Finanças já pagou ao BIC 22 milhões de euros no âmbito do contrato de venda doBPN, que previa que o Estado pudesse ter suportar responsabilidades contingentes no montante máximo de 158 milhões de euros. "Até à presente data, ...

Governo: Escolha de Machete é ótima e ligação a BPN não tem ...
Visão
Lisboa, 24 jul (Lusa) - O antigo ministro dos Negócios Estrangeiros António Monteiro considerou hoje que o novo titular da pasta é uma "solução ótima" e que as ligações de Rui Machete ao grupoBPN/SLN não vão afetar a sua imagem. "Acho que foi uma ...





quinta-feira, 11 de julho de 2013

Os cartões de Cavaco: PS, vermelho; CDS, amarelo; PSD, laranja

Os políticos têm hoje uma longa noite para se entender quando ao que Cavaco disse. Especialmente tendo em consideração as diversas interpretações das principais agências internacionais, parece que ninguém quer entender Cavaco.

A decisão apresentada constitui claramente um cartão vermelho ao PS, que já se manifestou contra a proposta de Cavaco. Não se dignam de apresentar qualquer justificação, bastando-lhes imaginar que a conversão das últimas sondagens em mandatos lhes seria favorável. Apenas desejam chegar ao poder, por desgaste da coligação CDS-PSD, mas não se espera do PS uma mudança de política, sabendo-se que nos Governos de Mário Soares o partido foi o rosto da austeridade.

O CDS levou cartão amarelo! Tinha ganho poder no interior da coligação à custa de manobras palacianas, pelo que Cavaco fez bem ao travar Portas. Se este só com uma pasta de cada vez já enrolou o país em tantos casos (desaparecimento de documentos, submarinos,...) então como super-ministro dificilmente se imagina até onde iria o seu poder destrutivo.

Claramente, o PSD é o partido beneficiado com a sua proposta. Com um “Governo de Salvação Nacional” PS-PSD-CDS, cuja primeira missão é realizar eleições, imediatamente depois de a Troika sair do país (!), Cavaco está a situar o PSD na pole position, porque anulará os ganhos da oposição (do PS, e mesmo do CDS!) resultantes do desgaste do Governo. Mais, vangloriar-se-ão de terem evitado um segundo resgate... porque facilmente reverterão igualmente como mérito seu a almofada do “programa cautelar”. Assim, o PSD será o partido em melhores condições nas eleições de Junho de 2014. Podemos dizer que o PSD teve um cartão laranja, porque afinal Cavaco é seu!

É triste viver em democracia, quando as alternativas se limitam ao PS e ao PSD...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...