sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

O Polvo que nos consome o Sol de cada dia


Quem trabalha todos os dias paga impostos mas são sempre insuficientes para os apetites da máquina. A providência cautelar interposta por Rui Pedro Soares, além de ter constituído a maior operação de Marketing a um jornal em Portugal, foi muito bem sucedida porque o país se encontra mergulhado numa crise de regime. Ninguém se sente representado por este primeiro-ministro, mas também não apareceu outro candidato credível. Esta é a democracia de m... a que temos direito! Não fosse a integração na União Europeia, e já teríamos derrapado para um regime musculado à semelhança dos países latino-americanos.

Na opinião de Menezes Leitão, Professor da Faculdade de Direito de Lisboa, o Presidente da República tem de intervir:

  • O único paralelo que me recordo com isto foi o caso República em pleno gonçalvismo. Na altura, a República era o único jornal que não aparecia alinhado com o chamado PREC e por isso foi silenciado, tendo surgido depois já totalmente alinhado com o Governo. Por causa desse episódio, o PS abandonou então o Governo e iniciou a luta contra Vasco Gonçalves.
    Ora, a ser verdade a existência de um plano do Primeiro-Ministro para controlar a comunicação social, é manifesto que o mesmo perdeu quaisquer condições para se manter no cargo. O PS deveria ser o primeiro partido a reconhecê-lo e procurar uma solução para o substituir. Ao que julgo, o PS ainda é o Partido Socialista e não apenas o Partido Sócrates.
    Há quem critique este óbvio entendimento, invocando as dificuldades económicas do país e a atenção das agências de rating. Mas o primeiro pressuposto para resolver as crises económicas é a existência de um Governo forte e credível que tenha a legitimidade política necessária para exigir aos portugueses os sacrifícios que se impõem. Manter em funções um Governo descredibilizado, sujeito à revelação constante de factos comprometedores — que não fazem parte da esfera privada, ao contrário do que se tem dito — atenta contra o prestígio das instituições e põe em causa o interesse nacional. O Presidente da República não pode continuar em silêncio por mais tempo.
    Menezes Leitão






Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...