sexta-feira, 25 de março de 2011

O esgotamento do modelo PS/PSD

Nenhum Governo pode perpetuar-se aprovando trimestralmente um novo PEC. A multiplicação dos PEC's deriva das estimativas irrealistas do crescimento e das receitas públicas. Com medidas recessivas, como o corte das despesas públicas e aumento de impostos, num período de crise na actividade económica, o resultado só pode ser agravamento da recessão. Logo, os impostos não aumentam conforme o previsto, porque a economia também não cresce... Como o Governo se encontra obcecado com o défice orçamental, depois de verificar que as metas não foram atingidas sente necessidade de apresentar um novo PEC. Cada novo PEC significa mais cortes nas despesas sociais e de investimento e um nível mais elevado da carga fiscal. Por este caminho apenas se podem esperar mais falências, mais desemprego, uma recessão cada vez mais profunda.

Escrevi modelo PS/PSD porque apesar do PSD ter reprovado o PEC4 a 23 de Março, sempre tem agradecido ao PS a política que tem sido seguida. São partidos que não se distinguem ideologicamente. Preconizam as mesmas soluções, embora possam apresentar uma cor diferente, como o vinho pode ser branco ou tinto ;)

Veja-se coo o PS e o PSD são iguais.



Se o PSD ganhar as eleições, Jean-Claude Juncker, presidente do Eurogrupo, já obteve de Passos Coelho a garantia de este iria cumprir as metas do PEC de Sócrates... Em entrevista à SIC confirmou ter as mesmas metas (défice), mas afirmou ter um caminho diferente, para se distinguir do PS. Gostaria de poder acreditar nisso.

Um comentário:

Nando disse...

Boa tarde professor,
Gostaria de ver publicado no seu blog o vídeo PROGRAMA DE TV CENSURADO EM PORTUGAL - PLANO INCLINADO (SIC Notícias)
Espero que seja possivel.
Obrigado.
Fernando Rodrigues

http://www.youtube.com/watch?v=bC1jp3wjmt0

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...