terça-feira, 11 de junho de 2013

100% contra Crato, Passos e Gaspar

Lendo os números dos sindicatos observa-se que quase nenhum Conselho de Turma se realizou hoje, números de tal modo esmagadores que impressionam, mesmo sabendo-se que basta que falte um professor para que estes não se realizem. Para quem colocava dúvidas quanto à oportunidade desta greve a resposta está aí. Os professores consideraram oportuno realizar a greve às avaliações porque lhes sai mais barata (são menos descontados) e é mais produtiva (emperra a máquina dos exames).

Como não foi Nuno Crato que decidiu por sua iniciativa implodir a Escola Pública, apenas dá a cara pela área em nome de Passos e Gaspar, esta bombinha é sobretudo uma derrota do Governo, e daí que se lhe associem sectores exteriores à educação, como já mostraram os artistas. Aguardam-se manifestações de simpatia de outros quadrantes.

Também hoje, o Colégio Arbitral reiterou que as urgências são no Hospital (a greve dos professores não fica sujeita a serviços mínimos), lógica que já foi utilizada para explicar a ineficácia da requisição civil relativamente aos exames.

Finalmente o ano lectivo ficou interessante, com os professores darem um empurrão para este Governo cair. Seria bom que arrastasse consigo o palhaço, mas já estou a sonhar demais...

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...