segunda-feira, 11 de julho de 2011

O Imposto Extraordinário é um imposto sobre o rendimento com taxa constante

Diz-se em Economia que o IRS é mais equitativo que o IVA porque como tem taxas progressivas, que vão subindo à medida que o rendimento aumenta, distribui o esforço fiscal de modo a que aqueles que mais ganham, mais paguem. Eis a tabela das taxas marginais de IRS referentes a 2010:


O Imposto Extraordinário será o equivalente a a 50% da parte do subsídio de Natal acima do salário mínimo nacional, que está fixado em 485 euros mensais. Isto, quer dizer que quem aufere 500,00 € por mês, isto é, 7.000,00 € por ano (500x14), pagará 7,50 € de imposto, que corresponde a uma taxa anual de 0,11%. Quem ganhar 2.500,00 € pagará 1.007,50 € de imposto, a que corresponde uma taxa anual de 2,88%.


Para rendimentos superiores a 2,500,00 € a taxa média anual continua próxima dos 3%, mostrando-se praticamente constante, em vez de progressiva, como num imposto sobre o rendimento deveria ser.

Porque é que o Imposto Extraordinário é um imposto sobre o rendimento com taxa praticamente constante?

Afinal qual é a lógica do PSD? Poupem os ricos?

O Pedro Lains admite que estavam apressados e/ou se enganaram no desenho deste imposto.

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...